Composto essencialmente por açúcares e gorduras, não tem como negar que é um alimento rico em calorias e que pode engordar quando consumido em excesso.

No entanto, o chocolate é um alimento muito procurado na alimentação do atleta e mesmo na alimentação infantil, pelo seu alto valor calórico e pelo seu sabor agradável.

O chocolate pode viciar, principalmente as mulheres, que fazem verdadeiros sacrifícios para comer uma barrinha de chocolate, substituindo às vezes um almoço ou jantar.

A feniletamina, substância liberada pelo cérebro quando as pessoas apaixonam-se, compõe também o famoso chocolate, por isto as pessoas solitárias encontram no chocolate um companheiro inseparável.

Também a teobromina, substância contida no cacau pode causar uma certa dependência ao alimento.

Como outros carboidratos, os aminoácidos do chocolate fazem o cérebro liberar mais hormônios, além de saciar o apetite e a ansiedade.

Como podemos perceber, o chocolate é um alimento apaixonante, pode e deve ser comido por indivíduos de qualquer idade, mas a moderação é fundamental, principalmente nesta época de Páscoa, quando a tradição nos obriga a oferecer o chocolate como forma de carinho ou de amizade.

O importante é não tornar-se “chocólatra”. O vício começa quando o doce vira até mesmo um consolo ou prazer nos momentos de tristeza e ansiedade, e nem mesmo dois bombons saciam, é como se o organismo precisasse da caixa inteira, e quando finda fica um sentimento de remorso e alguns quilinhos a mais na balança. Isto é o que chamamos de compulsão e para o bem de sua saúde, deve ser evitada.

Pessoas que tem restrição calórica ou de gorduras devem evitá-lo nesta Páscoa, substituir por chocolates dietéticos nem sempre resolve, pois o valor calórico é reduzido graças a redução de açúcares e não de gorduras e pode ser prejudicial.

O chocolate é um alimento que deve ser consumido antes de horários em que tenhamos um gasto calórico maior, como exercícios físicos ou caminhadas e nunca à noite em frente à televisão, pois todas as calorias ingeridas ficarão à disposição de nosso organismo e pela falta de atividade, depositar-se-ão em forma de reservas de gorduras, os indesejáveis “pneuzinhos“ que tanto queremos evitar. 

Às crianças cabe ressaltar que o chocolate, por ser rico em açucares, também pode ser causador de cáries e, por este motivo, após ingeri-lo, deve-se ter o cuidado de escovar bem os dentes.

A Páscoa deve ser lembrada com bombons e confraternização, aproveite esta data sem exageros. Se você está de dieta, coma seus bombons no domingo e evite consumi-los durante dias e dias, escondendo-os no armário ou na geladeira. Quanto às crianças, o exagero poderá levá-las a ter cólicas ou diarréias, portanto, todo cuidado é pouco.  Quanto aos adolescentes, o cuidados com erupções cutâneas, também chamadas de “espinhas”, é muito grande e o chocolate, sem dúvida acarretará em problemas cutâneos instantâneos. Moderação, sempre.

Qual o melhor chocolate? O puro, quanto mais puro, melhor, quanto menos açúcar, melhor. Chocolates puro cacau, 70%, 90%, sempre são mais saudáveis. É mais amargo, mas o paladar sempre é uma questão de hábito, devemos aprender a sentir o sabor do próprio alimento, não nos condimentos e aditivos que são colocados neles. 

Uma saborosa e nutritiva Páscoa para você!

DRA. MARLISE POTRICK STEFANI 

NUTRIÇÃO | GERIATRIA | COACHING | 

QUALIDADE DE VIDA | GASTRONOMIA

Inscreva-se no meu blog: www.nutrichefmarlisestefani.com

Assim, você terá todos os artigos e receitas catalogadas para quando quiser pesquisar. Aguardo você lá!